Início > Notícias de Actualidade
Discurso de S.E. Xi Jinping,Presidente da República Popular da China,na Cimeira Extraordinária China-África sobre a Solidariedade contra a COVID-19
2020/06/18

Excelentíssimo Sr. Presidente Cyril Ramaphosa,

Excelentíssimo Sr. Presidente Macky Sall,

Excelentíssimos Chefes de Estado e de Governo,

Excelentíssimo Sr. Moussa Faki Mahamat, Presidente da Comissão da União Africana,

Excelentíssimo Sr. António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas,

Excelentíssimo Tedros Adhanom Ghebreyesus, Director-Geral da Organização Mundial de Saúde,

Num momento importante da luta global contra a COVID-19, estamos reunidos, através de vídeo, nesta Cimeira Extraordinária China-África com os amigos antigos e novos, a fim de abordar a nossa resposta conjunta à COVID-19 e renovar a fraternidade entre a China e a África. Agradeço ao Presidente Ramaphosa e o Presidente Sall por se terem juntado a mim para a iniciativa desta cimeira, e à participação de todos os colegas presentes. Gostaria também de expressar os meus sinceros cumprimentos aos dirigentes africanos que não estão presentes hoje.

O surto da COVID-19 tem afetado todos os países no mundo e causado a perda de várias centenas de milhares de vidas preciosas. Queria expressar as condolências aos falecidos e a solidariedade aos seus familiares!

Perante a COVID-19, a China e a África resistiram ao desafio severo. O povo chinês envidou árduos esforços e fez enormes sacrifícios para colocar sob controlo a situação no país. No entanto, continuamos a enfrentar o risco de ressurgimento. No mesmo espírito, os governos e os povos africanos conjugaram uma frente unida e, acrescidos com uma coordenação efectiva da União Africana, tomaram medidas firmes para aliviar eficazmente a propagação do vírus. Estas são, sem dúvida, as conquistas obtidas nada fáceis.

Perante a COVID-19, a China e a África têm oferecido apoios mútuos e lutaram ombro a ombro. A China lembrará sempre o inestimável apoio da África no auge da nossa luta contra a COVID-19. Em contrapartida, face ao surto da COVID-19 na África, a China foi a primeira a chegar com assistência e, desde então, tem-se mantido firme com o povo africano.

Perante a COVID-19, a China e a África manifestam ainda mais solidariedade e reforçam ainda mais a nossa amizade e confiança mútua. Permitam-me reafirmar a valorização da China à sua amizade tradicional com a África. Independentemente da evolução da cena internacional, nunca se muda a determinação da China de fortalacer a solidariedade e a cooperação com a África.

Colegas,

Atualmente, a COVID-19 ainda está a propagar-se pelo mundo. Tanto a China como a África enfrentam as tarefas árduas de combater ao vírus, estabilizar a economia e assegurar a subsistência do povo. Devemos priorizar sempre as vidas do povo, mobilizar todos os recursos, manter a solidariedade e a cooperação, fazer o máximo que pudermos para proteger a vida e a saúde do povo e minimizar as consequências negativas da COVID-19

Primeiro, lutaremos veementemente contra a COVID-19. A parte chinesa continuará a apoiar todos os trabalhos da parte africana para o controlo da situação e implementará mais rápido possível as medidas que anunciei na abertura da Assembléia Mundial da Saúde, fornecendo materiais essenciais, enviando equipas de especialistas médicos aos países africanos e auxiliando a aquisição dos materiais de biossegurança na China. A parte chinesa adiantará para este ano a construção da sede do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças (Africa CDC), e trabalhará junto com a parte africana para implementar a iniciativa de Acção de Saúde e Higiene, no âmbito da Cimeira de Beijing do FOCAC e acelerar a construção dos Hospitais de Amizade Sino-Africana e o mecanismo de cooperação para hospitais chineses emparelharem-se com hospitais africanos, construindo juntos uma comunidade sino-africana de saúde. A parte chinesa promete que, assim que a vacina chinesa esteja concluida o seu desenvolvimento e pronta para ser aplicada, os países africanos serão os primeiros beneficiários.

Segundo, impulsionaremos inabalavelmente para reforçar a cooperação sino-africana. A fim de aliviar o impacto da COVID-19, fortaleceremos a cooperação do Cinturão e Rota, acelerar a implementação dos frutos da Cimeira de Beijing do FOCAC e dar maior prioridade à cooperação na área da saúde e higiene, a reabertura económica e melhoramento de subsistência do povo.

No âmbito do FOCAC, a China perdoará a dívida de vários países africanos na forma de empréstimos governamentais sem juros que vençam antes do final de 2020. A parte chinesa está disposta a trabalhar em conjunto com a comunidade internacional para dar maior apoio aos países africanos mais atingidos pela COVID-19, através de meios como mais prolongação do período de suspensão da dívida, para os ajudar a superar as dificuldades atuais. A parte chinesa encoraja as instituições financeiras chinesas a ter a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI) do G20 como referência e manter consultas amistosas com os países africanos conforme os princípios do mercado, para elaborar disposições aos empréstimos comerciais com garantias soberanas. Trabalhando juntos com outros membros do G20, a China implementará a DSSI e, apela a que os membros de G20 estendam ainda mais, na base atual, a suspensão do serviço da dívida dos países abrangidos, incluindo os países africanos.

A China espera que a comunidade internacional, especialmente os países desenvolvidos e as instituições financeiras multilaterais, ajam com mais esforço na suspensão e alívio da dívida da África. A China trabalhará com a ONU, a OMS e outros parceiros para ajudar a África responder à COVID-19 e tudo isso será feito de uma maneira que respeita a vontade da própria África.

O que importa ao longo prazo é promover o desenvolvimento sustentável na África. A China apoia o desenvolvimento da Zona de Comércio Livre Continental Africana, o reforço da construção da conectividade e fortalecimento das cadeias industrial e de suprimentos na África. A China está disposta a, em conjunto com a África, explorar novas formas de cooperação, tais como a economia digital, a cidade inteligente, a limpa energia e as comunicações de 5G, impulsionando o desenvolvimento e a revitalização da África.

Terceiro, defenderemos inequivocamente o multilateralismo. Face ao surto da COVID-19, a solidariedade e a cooperação são as nossas armas mais fortes. A China está disposta a trabalhar com a África para defender o sistema de governança global centrado na ONU e apoiar a OMS nos seus esforços para contribuir mais para o combate mundial à COVID-19. Opomo-nos à politização e estigmatização da COVID-19 e somos firmemente contra a discriminação racial e os preconceitos ideológicos. Salvaguardaremos firmemente a equidade e a justiça na comunidade internacional.

Quarto, promoveremos firmemente a amizade China-África. O mundo de hoje está a atravessar grandes mudanças sem precedentes nos últimos cem anos. Enfrentando as novas oportunidades e desafios, necessita-se mais do que nunca do reforço da cooperação entre a China e a África. Estou disposto a manter estreitos contactos com todos os colegas, para consolidar a nossa amizade, confiança mútua e os apoios recíprocos nas questões sobre os nossos interesses essenciais, salvaguardando os interesses fundamentais da China, da África e de todos os países em desenvolvimento. Desta forma, poderemos levar a parceria estratégica e cooperativa abrangente China-África a um nível mais elevado.

Colegas,

Na Cimeira de Beijing do FOCAC, concordámos em trabalhar juntos para construir uma comunidade de futuro compartilhado China-África mais estreita. A Cimeira Extraordinária China-África sobre a Solidariedade contra a COVID-19 é a nossa acção concreta para implementar os compromissos que assumimos na Cimeira de Beijing e para nós encarregar mais praticamente as responsabilidades na cooperação internacional contra a COVID-19. Estou convicto de que a humanidade acabará por derrotar o vírus, e o povo chinês e o povo africano abraçarão um futuro mais brilhante.

Obrigado!

Suggest To A Friend:   
Print